Arquivo para teatro

Chegou a hora de ir ao teatro: 40 mil ingressos de graça

Posted in Uncategorized with tags , , on maio 20, 2010 by karolnews

A 2.ª Festa do Teatro, promovida pelo grupo Parlapatões, Chaim Produções e pela J. Leiva Cultura & Esporte, vai oferecer gratuitamente 40 mil ingressos para peças adultas e infantis em cartaz em São Paulo entre os dias 28 de maio e 6 de junho. A distribuição dos bilhetes será feita entre os dias 27 e 29, em sete pontos da cidade.

O evento vai abranger desta vez 160 espetáculos durante dez dias, incluindo tanto montagens realizadas por grupos teatrais autônomos quanto grandes produções. No ano passado, a Festa do Teatro distribuiu gratuitamente cerca de 34 mil ingressos para 121 espetáculos.

A novidade deste ano é incluir na programação peças infantis. Dos 40 mil bilhetes previstos para serem entregues ao público, 30 mil serão destinados a espectadores adultos e 10 mil para crianças. O evento conta com o apoio da Prefeitura de São Paulo. Mais informações sobre o evento e pontos de distribuição dos ingressos (nesta edição, com posto também na zona norte da cidade) no site www.festadoteatro.com.br.

Veja algumas dicas de espetáculos:

 

Usufruto, com a atriz Lúcia Veríssimo, que também escreveu o texto. Teatro Faap. R. Alagoas, 903, Higienópolis, 3662-7233. 4ª e 5ª, 21h.

O Grande Inquisidor, baseado em ‘Os Irmãos Kamarazov’ de Fiódor Dostoiévski, com Celso Frateschi. Teatro Ágora. R. Rui Barbosa, 672, Bela Vista, 3284-0290. 6ª e sáb., 21h30; dom., 20h.

Hipóteses Para o Amor e a Verdade, sobre os solitários, com a cia. Os Satyros em sua sede. Pça. Franklin Roosevelt, 214, Centro, 3258-6345. 6ª a dom., 21h30.

Acorda, Zé! A Comadre Tá de Pé!, peça sobre contos populares com os cariocas do Grupo Moitará. Teatro Cacilda Becker.R. Tito, 295, Lapa, 3864-4513. 6ª e sáb., 21h; dom., 19h.

Musical O Rei e Eu, no Alfa (últimos dias). R. Bento Branco de Andrade Fº, 722, Sto. Amarro, 5693-4000. 6ª, 21h30; sáb., 17h e 21h; dom., 20h.

Confira os pontos de distribuição

Dias 27, 28 e 29 de maio, das 11h às 14h

Biblioteca Mário Schenberg – Rua Catão, 611 – Lapa

Biblioteca Paulo Setúbal – Av. Renata, 163 – Vila Formosa

Biblioteca Pref. Prestes Maia – Av. João Dias, 822 – Santo Amaro

CCJ Ruth Cardoso – Av. Dep. Emílio Carlos, 3641, V. Nova Cachoeirinha

Dias 27, 28 e 29 de maio, das 16h às 19h

Teatro Municipal – Pça Ramos de Azevedo s/n – Em frente às Casas Bahia

Centro Cultural São Paulo – Rua Vergueiro, 1000 – Paraíso

SP Escola de Teatro – Av. Rangel Pestana, 2401 – Brás

Até que a crise nos separe… ou até que a paciência aguente.

Posted in Uncategorized with tags , on junho 26, 2009 by karolnews

O evento “Festa do Teatro” realizado pela companhia CCR distribuiu (e ainda vai distribuir) vários ingressos para peças em toda a capital paulistana. Entre as centenas de pessoas que se aglomeraram em frente ao Teatro Municipal e Centro Cultural São Paulo, estava eu, jovem estudante de jornalismo (se é que isso vale alguma coisa agora) e amante das artes.

Embora não tenha conseguido o ingresso para as peças que eu realmente gostaria de ver, aceitei o conselho de uma amiga e escolhi um espetáculo aleatoriamente. Resolvi então ver a peça “Até que a crise nos separe” com texto de Rianez Ferreira e direção de Di Carlo Araújo. A peça trata dos conflitos de um casal e toda questão da disputa entre o ego feminino e o masculino (ao menos era isso que dizia a sinopse). Crendo ser uma comédia digna de bom público como a conhecida “Os homens são de marte e é pra lá que eu vou”, desloquei-me na noite de ontem (24.06) até o Teatro Ressurreição próximo ao metrô Jabaquara para conferir a encenação.

Logo nos cinco primeiros minutos de peça, encontrei alguns erros que, de cara, incomodaram o público. A sonorização escolhida, obstruía o diálogo dos atores e a iluminação por vezes chegou a atrapalhar o andar da peça. Crendo ainda que erros como estes sejam perdoáveis, permaneci em meu assento (sem saber que o pior ainda estaria por vir).

O roteiro era pobre. As falas debulhadas com esforço pelos dois atores (Rianez e Di Carlo) eram cheias de piadas esgarçadas e sem nenhum humor novo. A discussão entre os personagens não trouxe surpresa alguma para os que esperavam por um diálogo inteligente que colocasse em pauta as divergências de um casal em crise. O que se viu foi uma tentativa desesperada de provocar risos na platéia desapontada e incrédula. Claramente se podia notar que algumas das falas utilizadas pelos personagens eram de roteiros que lembram o livro “Divã” (que tem Lilia Cabral na versão cinematográfica) e “A comédia da vida privada” popularizada através da Rede Globo.

O pior da noite não foram as piadas sem graça e totalmente previsíveis (sobre a sogra, sobre o comportamento de ambos após o casamento, nem a falta de assunto a ser desenvolvido). O pior foi quando a personagem Cris, avançou sobre a platéia e disparou perguntas sobre a vida sexual dos espectadores. Um casal que estava ao meu lado foi uma das vítimas. Casados há 22 anos, foram surpreendidos com a pergunta “Você ainda chupa seu marido? Como é?”. A senhora ao meu lado ficou pasma e, sem saber o que responder, limitou-se a se contrair na cadeira. E não parou por ai, a falta de falas foi substituída por uma seqüência de palavrões e citações sujas sobre sexo e comportamento.

A classificação indicada no ingresso era de 12 anos.

O choque causado no público não foi nada promissor, com meia hora de espetáculo os comentários eram negativos e ansiosos pelo final da história.

O casal de atores parecia perdido no palco, falas atropeladas e falta de criatividade dispersaram a atenção dos espectadores.

A peça cheia de comentários preconceituosos sobre homossexuais e a vulgarização da mente feminina, levaram a peça a seu naufrágio. O público já cansado e sem vontade alguma de permanecer na casa, lamentavam a cada novo ensaio verbal dos atores.

Sem qualquer explicação, o ator Di Carlo apresentou uma propaganda pessoal sobre a peça poucos minutos antes do final, o que irritou ainda mais os presentes. O final foi tão ruim quanto o começo. A falta de conclusão da história (que já não tinha uma seqüência sedutora) provocou aplausos ocos e sem empolgação. A peça teve seu desfecho perto das 22h.

A Di Carlo Produções Artísticas é formado por um grupo de Minas Gerais e faz uma breve temporada em São Paulo.

 Por : Karoline Pereira

 FAPCOM – Faculdade Paulus de Tecnologia e Comunicação.

Serviço:

Teatro Ressureição, Rua dos Jornalistas,123 Fone: (11) 5016 – 1787 Ingresso R$ 40,00.Aceita dinheiro e ou cheque Tempo de duração: 75 minutos. 385 lugares, Acesso para deficiente, ar condicionado, lanchonete. Estacionamento R$ 10,00

Festa do Teatro: 32 mil ingressos de graça!

Posted in Uncategorized with tags , on junho 17, 2009 by karolnews

Tá rolando uma iniciativa batizada de Festa do Teatro que vai distribuir 32 mil ingressos para peças em cartaz em São Paulo entre 19 e 28 de junho… de graça.

Tava olhando a lista das peças… há um monte de coisas em cartaz em São Paulo.

Há desde superproduções populares pró-família importadas dos imperialistas americanos como “A Bela e a Fera” e “A Noviça Rebelde” até uma adaptação de “Dona Flor e Seus 2 Maridos”, do comunista baiano Jorge Amado e outra de “Vidas Secas”, do comunista alagoano, Graciliano Ramos.

De qq modo, provavelmente, é mais interessante aproveitar a oportunidade para conhecer coisas mais novas… algo escrito no século XXI.

Afinal, o objetivo da promoção, de acordo com o release, é “A Festa de Teatro tem por objetivo promover o acesso à diversidade da produção teatral contemporânea.”

Os ingressos estão sendo distribuídos no Teatro Municipal, Centro Cultural São Paulo e postos volantes na Lapa, Vila Formosa e Santo Amaro. Como o local depende da peça, então é melhor ver a lista oficial aqui antes de ir pegar.

O patrocínio é da CCR (Companhia de Concessões Rodoviárias)…

O Grupo CCR é responsável pela administração de 1.571 quilômetros de rodovias da malha concedida nacional, nos Estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Paraná, sob a gestão das concessionárias Ponte, NovaDutra, ViaLagos, RodoNorte, AutoBAn, ViaOeste e a mais recente delas, a Concessionária RodoAnel, responsável pela administração do trecho oeste do Rodoanel Mário Covas. Em 2008 a CCR adquiriu 40% do capital da concessionária Renovias. As rodovias administradas atualmente pela empresa totalizam 345,6 quilômetros de extensão, ligando a cidade de Campinas até o sul de Minas Gerais. O capital acionário da Renovias é detido pela Encalso, que é proprietária de 60% das ações da concessionária.

Além do setor de concessão de rodovias, a companhia busca diversificar seu portfólio. Em novembro de 2006, a CCR assinou, com o governo do Estado de São Paulo, o contrato da primeira PPP do País: a Linha 4 do Metrô de São Paulo, que será operada e mantida pela ViaQuatro, empresa com quatro sócios internacionais e liderada pela companhia. Ligando o centro à zona sul, a linha deverá atender 1 milhão de pessoas.

Ou seja, a grana arrecadada pelos pedágios…

China fará musical baseado em “O Capital”, de Karl Marx

Posted in Uncategorized with tags , , on março 23, 2009 by karolnews

normal_broadway_sign1Produtores de teatro chineses informaram nesta segunda-feira que uma comédia musical baseada em “O Capital”, de Karl Marx, estreará em breve aproveitando a conjuntura de crise econômica mundial.

“O espetáculo permitirá às pessoas comuns entenderem a crise financeira atual”, afirmou Zhang Jun, professor de economia da Universidade Fudan de Xangai, que colabora na adaptação do livro.

O musical vai mostrar as reações de um grupo de trabalhadores de um escritório que tomam consciência que são explorados por seu patrão, segundo o jornal “China Daily”.

O espetáculo se baseia também no filme “Rashomon”, do diretor japonês Akira Kurosawa, na qual quatro testemunhas de um estupro e um assassinato relatam diferentes versões dos fatos.

A peça deve estrear em meados de 2010 no Centro de Arte Dramática de Xangai e contará com todos os recursos dos maiores musicais da Broadway.