Arquivo para parada gay

Qual foi o tema da Parada Gay esse ano?

Posted in Uncategorized with tags , , , on junho 7, 2010 by karolnews

Qual foi o tema da Parada Gay esse ano? Voce sabe?Foi essa pergunta que fiz para muitos dos que estavam planejando ir a 14º edição da Parada Gay que ocorreu ontem,6, na Avenida Paulista.

Como em todos os anos, os carros alegóricos desfilaram pela avenida causando comoção a cada música que ecoava. E para muitos, o momento certo de sair do armário de uma vez por todas. Mas só na Parada tá?

Lembro que a primeira vez que disse em casa que ia a Parada Gay, meu pai me olhou com expanto e eu quase me escondi entre os carros para que nenhuma emissora flagrasse. Pensava ” o que meus pais vão pensar? E se minha avó estiver vendo tv?”.

Mas isso foi há algum tempo. Na época em que dizer que ia a Parada Gay ainda causava choque, pois ou voce era gay ou não era.

Hoje, o que vemos é um grande carnaval. Muitos amigos ficaram surpresos quando eu disse que não participaria (ativamente) dessa edição. Optei por ver de longe. Na verdade, me senti mais gay não entrando no meio da muvuca para seguir os trios.

Não é que condene a Parada em sí, mas não vejo mais com olhos de esperança esse tipo de movimento. Quando fui a primeira vez, aos 18, era como se aquele dia limpassse toda a injustiça dos outros 364 dias, e naquele dia, eu podia bater no peito e ter orgulho do que sou. Anos mais tarde,percebi que nada daquilo era necessário, e que eu deveria ter orgulho o ano todo da minha condição, e não só  em uma data meramente comemorativa.

 A Parada em sí é um movimento admirável e com grande comoção nacional, pois podemos ver senhoras, famílias e jovens que estão se descobrindo. Porém, a imagem que fica ainda é o das travestis siliconadas exibindos os corpos seminús, ou dos jovens heterossexuais que tornam a Parada um carnaval grotesco, ou ainda, o número incalculável de pessoas que consomem alcool e drogas livremente durante o evento.

É isso que chamam de movimento de militancia?

Me admira muito que a APOLGBT, que é um órgão sério e com intenções valiosas ainda permita esse tipo de festa.

Mas o que fazer? Proibir a Parada? Vetar o acesso dos heterossexuais? É uma alternativa, mas pouco seria resolvido com isso. Pois voltaríamos a ter guetos, e não é essa a intenção. O verdadeiro motivo é mostrar a sociedade que fazemos parte dela, com toda a diversidade que existe dentro do mundo GLS, mas para isso, o movimento necessita de um evento coerente com essas expectativas, com as revindicações e a ordem de protesto.

O único evento nesse mes gay que fez jus ao protesto contra a homofobia, foi a Caminhada Lésbica do sábado,5, onde mulheres de vários lugares do país se reuniram para pedir por Autonomia e Liberdade, e para lembrar que a grande mídia só fala do movimento gay nessa época do ano mostrando a Parada do Orgulho Gay como um grande circo degradando a imagem de todos os cidadãos que lutam o ano inteiro para realizá-la.

É triste caminhar pela avenida e ver casais heterossexuais aos amaços e achar que tudo é natural, que tudo é graça, enquanto o restante pula ao som de Lady Gaga e se esquece do motivo pelo qual esse evento existe.É triste ver que o que reinvidicamos há anos agora virou moda. Um simples fetiche para alguns.

Ainda tenho esperança que os gays de todo o país tomem consciencia do real motivo desse tipo de movmentação e, a exemplo do que ocorrem em São Francisco e na Europa, a Parada Gay torne-se realmente um movimento pelos direitos homossexuaiss, e não um carnaval de rua ou uma micareta .

Mas para que isso ocorra é necessário educar a população, a tarefa mais difícil. É difícil conscientizar um povo que está acostumado a ouvir calado e deixar de lutar por vergonha, que é capaz de lutar para ser sede da Copa do Mundo, mas é incapaz de lutar para ser respeitado pelo o que é.

Esta edição da Parada pediu pela votação do projeto de lei que torna a homofobia crime, e incentivou o protesto contra os políticos que incitam o preconceito dentro do senado. Agora, o que resta saber é,  se esses 3 minlhões de pessoas vão lembrar disso na hora de ir as urnas, no restante do ano quando saírem as ruas, ou se levantarão novamente suas bandeiras coloridas  só no próximo ano.

Anúncios

17 de Maio : Dia Internacional contra a Homofobia

Posted in Uncategorized with tags , , , on maio 17, 2010 by karolnews

Nem todos sabem, mas hoje, 17, é comemorado o Dia Internacional contra a Homofobia, no entanto, antes de ter um dia para “comemorar”, sem dúvida é necessário conscientizar e não apenas tornar essa data mais um risco no calendário gay.

Foi em 1992 que a OMS (Organização Mundial de Saúde) desligou oficialmente o termo Homossexualidade da classificação como doença.

O Dia Internacional contra a Homofobia, lançado por iniciativa de uma organização de Quebeque, é celebrado em cerca de 50 países para lembrar que se “a homossexualidade não tem fronteiras”, tal como a discriminação a ela associada.

Há um mês da 14º edição da Parada Gay de São Paulo, a data reforça a mudança no comportamento de gays e heteros que hoje buscam por um equilibrio e pela diminuição (já que talvez não seja possível o extermínio) do preconceito.

O dia de hoje foi marcado ainda por manifestações de bancários que se reuniram ao meio-dia na Praça do Patriarca para comemorar a data, mas também para intensificar a  luta para que o Congresso aprove o projeto que torna crime a homofobia e propagar a realização da primeira marcha LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transsexuais) que será realizada na Esplanada do Ministérios, em Brasília, na quarta-feira (fonte Estadão).

 Os manifestantes tiveram o apoio da CUT (Central Única dos Trabalhadores) que distribuiu cartilhas com o título “Conhecer, Entender e Respeitar Sim…Discriminar Não”, o material tem caráter didático e apresenta textos sobre orientação sexual, preconceito, além de retratar a luta do movimento dentro do ambiente sindical.