Arquivo para gay

Como Esquecer estréia com corações partidos e desilusões

Posted in Uncategorized with tags , , , , on outubro 14, 2010 by karolnews

Amanhã estreia um dos mais esperados filmes brasileiros desse ano, Como Esquecer, da diretora Malu de Martino.

No papel principal, ninguem menos que Ana Paula Arósio vivendo na tela (e há quem diga, na vida real) uma professora de literatura lésbica que ve  seu mundo ruir após o final de um relacionamento intenso.

O tema é polemico e atual, e está despertando a atenção da crítica sobre a atuação emocionante de Ana Paula.

Nas redes sociais a movimentação entre o público gay para acompanhar a estreia é grande. Meninas e mulheres suspiram com a ideia de ver Ana Paula em cena traduzindo um pouco do universo lésbico.

Em São Paulo os considerados redutos gays (entre as ruas Frei Caneca e Augusta) serão o ponto de encontro do público que irá acompanhar a exibição nas salas do Espaço Unibanco Artiplex.

No filme, Julia (Ana Paula Arósio) está em meio a uma série de conflitos internos e se ve diante da necessária adaptação para uma nova vida e não disfarça sua dor nesse momento de transição.

Uma boa pedida para quem gosta de uma dose de realidade, mas aviso, é bom separ os lenços.

Anúncios

Qual foi o tema da Parada Gay esse ano?

Posted in Uncategorized with tags , , , on junho 7, 2010 by karolnews

Qual foi o tema da Parada Gay esse ano? Voce sabe?Foi essa pergunta que fiz para muitos dos que estavam planejando ir a 14º edição da Parada Gay que ocorreu ontem,6, na Avenida Paulista.

Como em todos os anos, os carros alegóricos desfilaram pela avenida causando comoção a cada música que ecoava. E para muitos, o momento certo de sair do armário de uma vez por todas. Mas só na Parada tá?

Lembro que a primeira vez que disse em casa que ia a Parada Gay, meu pai me olhou com expanto e eu quase me escondi entre os carros para que nenhuma emissora flagrasse. Pensava ” o que meus pais vão pensar? E se minha avó estiver vendo tv?”.

Mas isso foi há algum tempo. Na época em que dizer que ia a Parada Gay ainda causava choque, pois ou voce era gay ou não era.

Hoje, o que vemos é um grande carnaval. Muitos amigos ficaram surpresos quando eu disse que não participaria (ativamente) dessa edição. Optei por ver de longe. Na verdade, me senti mais gay não entrando no meio da muvuca para seguir os trios.

Não é que condene a Parada em sí, mas não vejo mais com olhos de esperança esse tipo de movimento. Quando fui a primeira vez, aos 18, era como se aquele dia limpassse toda a injustiça dos outros 364 dias, e naquele dia, eu podia bater no peito e ter orgulho do que sou. Anos mais tarde,percebi que nada daquilo era necessário, e que eu deveria ter orgulho o ano todo da minha condição, e não só  em uma data meramente comemorativa.

 A Parada em sí é um movimento admirável e com grande comoção nacional, pois podemos ver senhoras, famílias e jovens que estão se descobrindo. Porém, a imagem que fica ainda é o das travestis siliconadas exibindos os corpos seminús, ou dos jovens heterossexuais que tornam a Parada um carnaval grotesco, ou ainda, o número incalculável de pessoas que consomem alcool e drogas livremente durante o evento.

É isso que chamam de movimento de militancia?

Me admira muito que a APOLGBT, que é um órgão sério e com intenções valiosas ainda permita esse tipo de festa.

Mas o que fazer? Proibir a Parada? Vetar o acesso dos heterossexuais? É uma alternativa, mas pouco seria resolvido com isso. Pois voltaríamos a ter guetos, e não é essa a intenção. O verdadeiro motivo é mostrar a sociedade que fazemos parte dela, com toda a diversidade que existe dentro do mundo GLS, mas para isso, o movimento necessita de um evento coerente com essas expectativas, com as revindicações e a ordem de protesto.

O único evento nesse mes gay que fez jus ao protesto contra a homofobia, foi a Caminhada Lésbica do sábado,5, onde mulheres de vários lugares do país se reuniram para pedir por Autonomia e Liberdade, e para lembrar que a grande mídia só fala do movimento gay nessa época do ano mostrando a Parada do Orgulho Gay como um grande circo degradando a imagem de todos os cidadãos que lutam o ano inteiro para realizá-la.

É triste caminhar pela avenida e ver casais heterossexuais aos amaços e achar que tudo é natural, que tudo é graça, enquanto o restante pula ao som de Lady Gaga e se esquece do motivo pelo qual esse evento existe.É triste ver que o que reinvidicamos há anos agora virou moda. Um simples fetiche para alguns.

Ainda tenho esperança que os gays de todo o país tomem consciencia do real motivo desse tipo de movmentação e, a exemplo do que ocorrem em São Francisco e na Europa, a Parada Gay torne-se realmente um movimento pelos direitos homossexuaiss, e não um carnaval de rua ou uma micareta .

Mas para que isso ocorra é necessário educar a população, a tarefa mais difícil. É difícil conscientizar um povo que está acostumado a ouvir calado e deixar de lutar por vergonha, que é capaz de lutar para ser sede da Copa do Mundo, mas é incapaz de lutar para ser respeitado pelo o que é.

Esta edição da Parada pediu pela votação do projeto de lei que torna a homofobia crime, e incentivou o protesto contra os políticos que incitam o preconceito dentro do senado. Agora, o que resta saber é,  se esses 3 minlhões de pessoas vão lembrar disso na hora de ir as urnas, no restante do ano quando saírem as ruas, ou se levantarão novamente suas bandeiras coloridas  só no próximo ano.

17 de Maio : Dia Internacional contra a Homofobia

Posted in Uncategorized with tags , , , on maio 17, 2010 by karolnews

Nem todos sabem, mas hoje, 17, é comemorado o Dia Internacional contra a Homofobia, no entanto, antes de ter um dia para “comemorar”, sem dúvida é necessário conscientizar e não apenas tornar essa data mais um risco no calendário gay.

Foi em 1992 que a OMS (Organização Mundial de Saúde) desligou oficialmente o termo Homossexualidade da classificação como doença.

O Dia Internacional contra a Homofobia, lançado por iniciativa de uma organização de Quebeque, é celebrado em cerca de 50 países para lembrar que se “a homossexualidade não tem fronteiras”, tal como a discriminação a ela associada.

Há um mês da 14º edição da Parada Gay de São Paulo, a data reforça a mudança no comportamento de gays e heteros que hoje buscam por um equilibrio e pela diminuição (já que talvez não seja possível o extermínio) do preconceito.

O dia de hoje foi marcado ainda por manifestações de bancários que se reuniram ao meio-dia na Praça do Patriarca para comemorar a data, mas também para intensificar a  luta para que o Congresso aprove o projeto que torna crime a homofobia e propagar a realização da primeira marcha LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transsexuais) que será realizada na Esplanada do Ministérios, em Brasília, na quarta-feira (fonte Estadão).

 Os manifestantes tiveram o apoio da CUT (Central Única dos Trabalhadores) que distribuiu cartilhas com o título “Conhecer, Entender e Respeitar Sim…Discriminar Não”, o material tem caráter didático e apresenta textos sobre orientação sexual, preconceito, além de retratar a luta do movimento dentro do ambiente sindical.

Estreia de filme com Rodrigo Santoro como gay é adiada para julho

Posted in Uncategorized with tags , , on abril 14, 2010 by karolnews

O filme “I Love You Phillip Morris”, de Glenn Ficarra e John Requa, que seria lançado comercialmente em 30 de abril nos Estados Unidos, teve sua estreia adiada para 30 de julho, de acordo com a “Variety”.

Além disso, a estreia será restrita a poucas salas, tendo uma distribuição maior apenas a partir do dia 6 de agosto.

Na fita, Steven Russell (Jim Carrey), um homem casado, se apaixona por seu colega de cela na prisão, Phillip Morris (Ewan McGregor).

A produção tem a participação do ator brasileiro Rodrigo Santoro, 34, como Jimmy Kemple, o primeiro “affair” assumido do personagem de Jim Carrey.

O filme estreou em Sundance no ano passado e passou por alguns festivais, como a Mostra Internacional de Cinema de São Paulo.

Não foi o primeiro adiamento da estreia da produção. A data de lançamento informada inicialmente pela distribuidora Consolidated Pictures Group havia sido 26 de março.

Antes de a “Variety” informar a nova data de lançamento, a distribuidora havia dito que a estreia estava adiada indefinidamente.

No Brasil, o filme deve ganhar o título de “O Golpista do Ano”.

 Fonte: Folha Online

Ricky Martin sai do armário: ‘sou um feliz homem homossexual’

Posted in Uncategorized with tags , , on março 30, 2010 by karolnews

“Eu tenho orgulho em dizer que sou um feliz homem homossexual. Eu sou muito abençoado de ser quem eu sou”. Por meio dessa frase, o cantor porto-riquenho Ricky Martin assumiu nesta segunda-feira, 25, sua opção sexual.

Em um texto publicado em seu site oficial e assinado por ele, o artista que arranca suspiros das mulheres desde o início de sua carreira na boyband latina Menudo afirmou que está escrevendo suas memórias.

“Um projeto que sabia que seria verdadeiramente importante para mim, (…), porque ajudaria a me livrar de coisas que venho carregando há muito tempo”, afirmou Martin na mensagem aos fãs.

Segundo o cantor, o momento de “serenidade” que está vivendo o levou a “um lugar de reflexão, compreensão e muita iluminação. Me sinto livre, e quero compartilhar isso”, acrescentou.

De acordo com Martin, muitas pessoas disseram que assumir sua homossexualidade não valeria a pena e poderia abalar todo seu trabalho, já que muitos não estariam preparados para aceitar “sua verdade, sua natureza”. Por medo, o astro teria demorado tanto em revelar sua opção sexual; medo que, segundo Martin, hoje ele já não tem mais.

“Se me perguntam hoje: ‘Ricky, do que você tem medo?’ Eu responderia: do sangue que corre pelas ruas nos países em guerra, da escravidão sexual infantil, do terrorismo, do cinismo de alguns homens no poder, do sequestro da fé. Mas medo da minha natureza, da minha verdade? Não mais!”, declarou o ex-menudo.

Ricky Martin começou a fazer sucesso em 1984, quando conseguiu entrar para o grupo Menudo. Aos 19 anos, em 1991, lançou seu primeiro CD solo “Ricky Martin” e mudou-se para os Estados Unidos.

Em 1993, Ricky lançou o segundo álbum “Me Amaras” e conseguiu destaque no México, onde iniciou sua carreira solo. O sucesso nos países latinos chegou em 1996, com a música “Maria”, de seu terceiro disco “A Medio Vivir”. A música foi tema da novela “Salsa e Merengue”, da Rede Globo, e o disco vendeu mais de 600 mil cópias no Brasil.

Suas músicas já foram tema de filmes da Disney, e  até da Copa do Mundo da França, de 1998 (“La Copa de la Vida”).

Fonte: Estadão

Érika Martins recebe Rosana no Mix Music Chuveiro in Concert

Posted in Uncategorized with tags , , , on novembro 19, 2009 by karolnews

Quem for ao Sesc Pompeia nesta quinta-feira (19) vai presenciar uma verdadeira cantoria. Isso porque, a partir das 21h, Érika Martins –ex-vocalista do grupo Penélope e a voz feminina de Lafayette e os Tremendões– dá início à décima edição do Mix Music Chuveiro in Concert, braço musical do festival de cinema LGBT Mix Brasil.

Nessa noite, a cantora sobe ao palco acompanhada de uma banda, que terá como vocalistas convidados Gabriel Thomaz, da banda de rock alternativo Autoramas, o ator e músico André Frateschi, Miranda Kassin, que ficou conhecida por suas interpretações de Amy Winehouse, e a cantora Rosana, ícone da música nacional nos anos 80.

O festival, criado no ano de 2000 pela Associação Cultural Dynamite, é o único do gênero e tem como proposta reunir artistas para cantar.

Informe-se sobre o evento

Fonte: Guia Folha

Muitas janelas para a sexualidade

Posted in Uncategorized with tags , , on novembro 12, 2009 by karolnews

Começa nesta quinta-feira (12), em São Paulo, a 17ª edição do Mix Brasil – Festival de Cinema e Vídeo da Diversidade Sexual. Até o dia 22, o evento exibe curtas e longas variados, que têm em comum o uso de temas relacionados à diversidade sexual.mixbrasil

Nesta quinta, o filme “Do Começo ao Fim” abre a Mostra para convidados e imprensa. A produção, que conta com Fábio Assunção e Julia Lemmertz, discute a relação incestuosa de amor entre dois irmãos.

O Mix Brasil, criado em 1993, também apresenta uma série de atividades paralelas, que incluem a realização de uma oficina de roteiro, shows e debates apresentados pela atriz Marisa Orth. Neste ano, o festival –considerado o maior fórum de cinema GLBT da América Latina– ainda oferece um panorama de filmes nacionais, além de programação voltada para o Ano da França no Brasil.

Entre os filmes nacionais, um dos destaques é “Meu Amigo Cláudia”, dirigido por Dácio Pinheiro, que conta a trajetória da travesti Cláudia Wonder. A produção esteve no 33º Festival de Filmes GLBT de São Francisco.

Premiação

A Mostra Competitiva Brasil reúne 11 curtas-metragens que concorrem ao troféu Coelho de Ouro, prêmio do júri. Já o troféu Coelho de Prata será entregue nas categorias: melhor direção, melhor roteiro, melhor montagem, melhor fotografia e melhor interpretação. O público elege o melhor longa-metragem de ficção, melhor documentário, melhor curta estrangeiro e nacional.

O Canal Brasil oferece R$ 10 mil ao melhor curta, através do Prêmio Canal Brasil de Incentivo ao Curta-Metragem. O vencedor concorre ao Grande Prêmio, de R$ 50 mil, com outros ganhadores de festivais.

Veja a programação completa do festival no site www.mixbrasil.org.br.