Arquivo para setembro, 2009

Uma Prova de Amor (My Sister’s Keeper, 2009)

Posted in Uncategorized on setembro 13, 2009 by karolnews

O cineasta Nick Cassavetes volta aos cinemas com um drama que mexe com todas as emoções do espectador e, mesmo carregando uma trama sensível, é densa. “Uma Prova de Amor” é um dos melhores dramas do ano e merece ser assistido.

Filho do renomado John Cassavetes, conhecido por seu trabalho autoral no cinema americano, Nick Cassavetes tem se tornado referência com os bons dramas que traz às telas. O principal deles, até agora, é “Diário de uma Paixão“, romance encantador que certamente deve dividir as atenções na filmografia do diretor com este “Uma Prova de Amor“. Baseado no livro best seller escrito por Jodi Picoult, Cassavetes faz uma leitura incrível da fragilidade do ser humano e da dificuldade em perder aquilo que é importante. Aliás, o longa transita por tantas outras temáticas que é complicado defini-lo em uma só. De qualquer forma, estão lá os atritos familiares, a juventude acabada de forma prematura, o questionamento do que é amar, o poder dos pais sobre os filhos, a incapacidade de aceitar a morte e tantas outras vertentes que demonstram pessoas fracas e egoístas sentimentalmente.

A trama escrita por Cassavetes e Jeremy Leven emociona por inteiro. Anna Fitzgerald (Abigail Breslin) tem 11 anos e decide processar os pais Sara (Cameron Diaz) e Brian (Jason Patric) para impedir que eles continuem usando o corpo dela na tentativa de salvar a vida de Kate (Sofia Vassilieva), irmã de Anna que tem um câncer muito raro. Para defender Anna na corte, Campbell Alexander (Alec Baldwin) aceita os 700 dólares que a garota tem a oferecer para que o caso possa seguir. A obsessão de Sara em salvar a filha doente, que agora precisa de um rim para ganhar mais tempo de vida, faz com que a família foque tanto no câncer da menina que, de certa forma, neglicencie não só Anna, mas também seu irmão Jesse (Evan Ellingson). Assim, a vida de todos é alterada pelo pedido de emancipação médica de Anna e agora eles precisam lutar contra a ideia de que a família chegou aos limites da sensatez e precisam procurar forças para aceitar o destino.

O mais impressionante no roteiro de “Uma Prova de Amor” vem juntamente com a direção de Cassavetes. Aliados texto e câmera, o longa exibe uma sensibilidade tão forte que é praticamente impossível não se emocionar logo na sequência inicial quando Anna narra que foi uma criança “feita por encomenda”. Da mesma forma, o andamento do filme traz situações mágicas, sempre cercada de uma sensação definitiva, como se todos aqueles personagens estivessem prestes a perder tudo, mas que eles não estão preparados para isso. O que poderia virar um melodrama exagerado, ganha apenas em sentimentalismo, sem nunca extrapolar no teor dramático de suas sequências.

No primeiro ato do filme, Cassavetes se utiliza da narração em off das diferentes visões de cada personagem da família Fitzgerald. O recurso é utilizado de forma correta para acrescentar, logo no começo, o que cada personagem sente. Assim, é possível associar as atitudes futuras deles com a forma que cada um é atingido com a história. Entretanto, a primeira falha do longa reside em não se utilizar mais dessa alternativa, já que a partir do segundo ato há um desvio narrativo que foca mais no romance vivido por Kate enquanto tratava de seu câncer. Além de perder a estrutura narrativa do início, o argumento do filme também sofre um desvio e esquece do motivador de tudo aquilo, que foi o processo judicial levantado por Anna. Por mais que o romance de Kate possa justificar muita coisa em sua vida, ele desvirtua o que outrora foi apresentado; logo sendo retomado no terceiro ato, quando há o julgamento do caso. Essa quebra desagrada, mas mesmo assim o filme não deixa de ser rico em conteúdo.

O que poderia ser visto como defeito, é suprido imediatamente por outros atrativos do longa, principalmente pelo incrível elenco que Cassavetes reuniu. Abigail Breslin tira a atenção de todos quando está em cena, se mostrando mais madura e diferente de seus papéis anteriores, como em “Pequena Miss Sunshine” e “A Ilha da Imaginação”. Breslin tem um potencial cênico incrível, atuando como uma estrela de longa data. Em um determinado momento, ela enfrenta os pais ao justificar o por quê do processo judicial, e simplesmente faz uma das cenas mais naturais e fantásticas do filme. Ao lado de Breslin, Sofia Vassilieva interpreta Kate de uma forma apaixonante. Alternando momentos de tristeza, felicidade, alívio, docilidade, e segurança, Vassilieva conquista de cara e não transforma sua personagem em uma coitada. Ainda no elenco juvenil, Evan Ellingson, mesmo tendo pouco tempo em tela em relação a Breslin e Vassilieva, sabe mostrar toda a confusão que passa devido aos abalos da estruturação familiar.

Entre os atores mais experientes, Cameron Diaz tem mais uma vez a oportunidade de se distanciar das comédias e o faz com glória. Diaz já mostrou parte do seu potencial dramático em “Vanilla Sky”, por exemplo, mas aqui tem a oportunidade de interpretar uma mãe descontrolada que é capaz de tudo, inclusive passar por cima de sua filha, para manter a outra viva. O personagem de Jason Patric funciona de uma forma mais caricatural no começo, como o marido que não questiona tanto os atos da esposa, mas depois se revela mais interessante em cena. No elenco secundário ainda temos Alec Baldwin, com um toque canastrão, mas que conquista o público justamente por se aliar à personagem de Breslin; além da participação especial de Joan Cusack, sempre competente e segura.

A história beneficia esse elenco grandioso justamente por trazer a cada um deles um sentimento, uma importância, uma razão. Nenhum dos citados é esquecido quanto às dificuldades que já passaram em suas vidas e as motivações que os levam a seguir por determinados caminhos. Todos os personagens são interessantes, todos acrescentam e trazem carga dramática para a trama. Com essa eficácia incrível do roteiro, não tem como não se emocionar com o que eles narram, dialogam e vivem. As lágrimas são possíveis por suas trajetórias, sempre regadas a uma trilha sonora belíssima que transita por Jeff Buckley, Regina Spektor, James Blunt, entre outros.

Assim como “Diário de uma Paixão”, Cassavetes cria outro drama pesado e belo, que mesmo com seus defeitos, não perde a inspiração. “Uma Prova de Amor” questiona até onde o ser humano é capaz de fazer por uma pessoa que ama e até onde esse amor é saudável. Um drama denso e que leva facilmente às lágrimas, o filme é uma das melhores películas que estrearam este ano em circuito e imperdível para quem gosta de grandes histórias.

Por: Diego Benevides

PROJETO TEATRO NOS PARQUES COMEMORA OS 30 ANOS DA COOPERATIVA PAULISTA DE TEATRO

Posted in Uncategorized on setembro 8, 2009 by karolnews

O projeto TEATRO NOS PARQUES é uma temporada teatral gratuita, entre 5 de setembro e 31 de outubro de 2009, nos parques das zonas norte, sul, leste e oeste da cidade de São Paulo.

Com a abrangência de 32 parques municipais, somando 64 apresentações, espera-se atingir entre 30 a 40 mil pessoas durante a temporada.

O evento homenageia o aniversário do 30º ano da  Cooperativa Paulista de Teatro.

Para compor a grade da programação, foram selecionados 16 grupos que já trabalham com uma linguagem teatral voltada para parques, ruas, espaços abertos ou alternativos, perfazendo um total aproximado de 120 artistas, entre atores, músicos e circenses, com linguagens acessíveis a todas as faixas etárias e camadas sociais.

O objetivo do projeto é a formação de espectadores para o teatro, pois os parques são frequentados por uma ampla camada da população que poderá usufruir do bem cultural em agradáveis espaços públicos e gratuitamente. Espera-se com isso que o cidadão, que normalmente não assiste teatro, passe a se interessar pelas artes cênicas.

A BRAVA

Sem divisão entre o palco e a plateia, a peça conta a vida da heroína francesa Joana D’Arc. Dir. Fábio Resende. Concep. e interp. Brava Cia. 55 min. Livre.
Pq. Shangrilá. R. Irmã Maria Lourença, 250, Grajaú. Dom. (6/9), 15h.
Pq. da Aclimação. R. Muniz de Souza, 1.119, Aclimação. Dom. (27/9), 15h.
Pq. Jd. Felicidade. R. Laudelino Vieira de Campos, 265, Jd. Felicidade, Pirituba. Dom. (4/10), 15h.
Pq. Trianon. R. Peixoto Gomide, 949, Cerq. César. Dom. (18/10), 15h. Grátis.

ACUDA BENEDITO

A peça conta a irreverente história de Benedito, um homem que nasce em um galinheiro e vai morar na cidade onde vence diversos desafios. Com Grupo Abacirco. 55 min. Livre.
Pq. Sta. Amélia. R. Timóteo Correia de Goes, 30, Jd. das Oliveiras. Dom.(6/9), 11h.
Pq. Santos Dias. Estr. de Itapecerica, km 23, Capão Redondo. Sáb. (26/9), 15h.
Pq. Guarapiranga. Estr. Guarapiranga, 575, Campo Limpo. Sáb. (3/10), 15h.
Pq. Lions Club tucuruvi. R. Alcindo Bueno de Assis, alt. 500, Tucuruvi. Dom. (4/10), 11h.

A FARSA DO BOM ENGANADOR

Adaptação da sátira clássica medieval do século XV, de autor anônimo, ‘A Farsa do Mestre Pierre Pathelin’. O texto apresenta uma série de mau-entendidos envolvendo um comerciante inescrupuloso, seu empregado e um casal formado por um advogado falido e sua esposa. Com Cia. Buraco D’Oráculo. 55 min. Livre.
Pq. Severo Gomes. R. Pires de Oliveira, 356, Chác. Sto. Antônio. Sáb. (12/9), 11h.
Pq. da Luz. Pça. da Luz, s/nº, Bom Retiro. Dom. (27/9), 15h.
Pq. Raul Seixas. R. dos Murmúrios da Tarde, 211, Itaquera. Dom.(18/10), 11h.
Pq. V. dos Remédios. R. Carlos Alberto Vanzolini, 413, V. dos Remédios. Sáb. (31/10), 15h. Grátis.

AQUI NINGUÉM É INOCENTE

O espetáculo é dividido em duas partes. Na primeira, o público é convidado a seguir um dos personagens e observá-lo em interação com locais próximos ao espetáculo. Na segunda, os personagens se apresentam, contam histórias sobre si próprios e respondem às perguntas do público. Com Atelier de Manufactura Suspeita e Cia. Linhas Aéreas. 55 min. Livre.
Pq. Nabuco. R. Frederico Albuquerque, 120, Cid. Ademar. Sáb. (12/9), 11h.
Pq. Buenos Aires. Av. Angélica, s/nº, Higienópolis. Sáb. (19/9), 11h.
Pq. Chác. das Flores. Estr. Dom João Nery, 3.551, Guaianazes. Sáb. (24/10), 11h.
Pq. do Ibirapuera. Av. Pedro Álvares Cabral, s/nº, V. Mariana. Dom. (25/10), 15h. Grátis.

ARRUMADINHO

Seis gerentes de venda questionam o homem moderno com suas respectivas visões de mundo e de mercado, em um jogo intenso com o público. Com Trupe Olho na Rua. 55 min. Livre.
Pq. Piqueri. R. Tuiuti, 2.213, Tatuapé. Sáb. (12/9), 15h.
Pq. V. Guilherme. R. São Quirino, 905, V. Guilherme. Sáb. (19/9), 15h.
Pq. da Independência. Av. Nazareth, s/nº, Ipiranga. Sáb. (24/10), 15h.
Pq. da Luz. Pça. da Luz, s/nº, Bom Retiro. Dom. (25/10), 15h. Grátis.

BICHOS DO BRASIL

Com três atores e mais de 50 bonecos feitos a partir de materiais naturais, o espetáculo é um manifesto contra a extinção dos animais que existem dentro do imaginário popular. Com Cia. Pia Fraus. 55 min. Livre.
Pq. Ibirapuera. Av. Pedro Álvares Cabral, s/nº, V. Mariana. Sáb. (5/9), 15h.
Pq. Previdência. R. Pedro Peccinini, 88, Jd. Ademar. Dom. (11/10), 11h.
Pq. V. Guilherme. R. São Quirino, 905, V. Guilherme. Dom. (18/10), 11h.
Pq. do Carmo. Av. Afonso Sampaio e Souza, 951, Itaquera. Sáb. (31/10), 15h. Grátis.

BISBIGLIO

O espetáculo conta a história do resultado inesperado que surge do encontro de Dona Branca, uma mulher que sofreu uma grande desilusão amorosa, e Palha, um homem que acaba de passar por uma tentativa fracassada de suicídio. Com Grupo Clã – Estúdio de Artes Cômicas. 55 min. Livre.
Pq. do Carmo. Av. Afonso Sampaio e Souza, 951, Itaquera. Sáb. (26/9), 15h.
Pq. Shangrilá. R. Irmã Maria Lourença, 250, Grajaú. Sáb. (10/10), 15h.
Pq. Raposo Tavares. R. Telmo Coelho Filho, 200, V. Albano. Sáb. (17/10), 15h.
Pq. São Domingos. R. Pedro Sernagiotti, 125, Pq. São Domingos, Pirituba. Sáb. (24/10), 15h.  Grátis.

CANTEIROS

Livremente inspirada na obra ‘Viva o Povo Brasileiro’ de João Ubaldo Ribeiro, a peça mostra a trajetória de um grupo de trabalhadores, num canteiro de obras, durante a construção de um Monumento. De forma divertida são narradas várias histórias pelos operários, onde heróis de diferentes naturezas se apresentam ao público. Com Cia. dos Inventivos. 55 min. Livre.
Pq. Trianon. R. Peixoto Gomide, 949, Cerq. César. Sáb. (12/9), 15h.
Pq. Severo Gomes. R. Pires de Oliveira, 356, Chác. Sto. Antônio. Sáb. (3/10), 11h.
Pq. Luis Carlos Prestes. R. João Della Manna, 665. Jd. Rolinópolis, Butantã. Sáb. (10/10), 11h.
Pq. Rodrigo de Gásperi. Av. Miguel de Castro, 321, V. Zatti, Pirituba. Dom. (11/10), 11h. Grátis.

ESSES MENINOS ESQUISITOS E SUAS HISTÓRIAS MARAVILHOSAS

O espetáculo conta duas histórias de dois meninos que por suas necessidades enfrentam o destino. A peça é baseada nas histórias infantis ‘João Mata Sete’ e ‘A Ovelha de Lã Dourada’. Com Grupo A Santa Palavra. 55 min. Livre.
Pq. Buenos Aires. Av. Angélica, s/nº, Higienópolis. Dom. (13/10), 15h.
Pq. Chácara das Flores. Estr. Dom João Nery, 3.551, Guaianazes. Sáb. (26/9), 15h.
Pq. da Independência. Av. Nazareth, s/nº, Ipiranga. Sáb. (3/10), 15h.
Pq. Alfredo Volpi. R. Eng. Oscar Americano, 480, Morumbi. Dom. (4/10), 15h. Grátis.

O MAIOR INSPETÁCULO DA TERRA

Peça infantil para todas as idades. A peça infantil é inspirada nos esquetes musicais dos circos antigos, que combinavam instrumentos de sopro e percussão, e os efeitos sonoros de buzinas, apitos, latas e chocalhos. Com Circo & Cia. 55 min. Livre.
Pq. do Ibirapuera. Av. Pedro Álvares Cabral, s/n], V. Mariana. Sáb. (5/9), 15h.
Pq. Alfredo Volpi. R. Eng. Oscar Americano, 480, Morumbi. Dom. (13/9), 15h.
Pq. Lina e Paulo Raia. R. Volkswagen, s/nº, Jabaquara. Sáb. (26/9),15h.
Pq. Nabuco. R. Frederico Albuquerque, 120, Cid. Ademar. Sáb. (17/10), 15h. Grátis.

QUIXOTE

A partir da obra ‘Quixote’, de Cervantes, foi criada uma versão atual para a história da peça. Para ser apresentada ao ar livre, a complexa estrutura original foi reduzida para apenas dois personagens, um gari e um morador de rua. Com Circo Mínimo. 55 min. Livre.
Pq Cordeiro. R. Breves, 968, Chác. Monte alegre, Sto. Amaro. Dom. (6/9), 11h.
Pq. Anhanguera. Av. Fortunata Tadielo Natucci, 1.000, Perus (Km 24,5, Rod. Anhanguera). Dom. (20/9), 11h.
Pq. Cidade do Toronto. Av. Cardeal Motta, 84, city américa, Pirituba. Dom. (27/9), 11h.
Pq. da Aclimação. R. Muniz de Souza, 1.119, Aclimação. Dom. (25/10), 11h. Grátis.

QUIXOTES

Baseado no clássico de Miguel de Cervantes, em que Dom Quixote, já com certa idade, se entrega à leitura de romances de cavalaria e decide se tornar um cavaleiro andante junto a seu fiel escudeiro, Sancho Pança. A peça mostra os diversos ‘Quixotes’ que existem atualmente, como pícaros, saltimbancos, artistas de circo, contadores de histórias e cantadores. Com Circo Navegador. 55 min. Livre.
Pq. Previdência. R. Pedro Peccinini, 88, Jd. Ademar. Sáb. (19/9), 11h.
Pq. Piqueri. R. Tuiuti, 2.213, Tatuapé. Sáb. (10/10), 11h.
Pq. Cordeiro. R. Breves, 968, Chác. Monte Alegre, Sto. Amaro. Sáb. (17/10), 11h.
Pq. Cemucam. R. Mesopotâmia, s/nº, Granja Viana (Km 24,5, Rod. Raposo Tavares). Sáb. (31/10), 11h. Pq. Lions Club Tucuruvi. R. Alcindo Bueno de Assis, alt. 500, Tucuruvi. Dom. (20/9), 11h.

TEM PALHAÇO NO PARQUE

O espetáculo apresenta um cortejo formado por quatro palhaços músicos e seis palhaços brincantes que interage com o público, formando rodas de brincadeiras e desenvolvendo jogos e cenas. Com Na Cia. dos Anjos. 55 min. Livre.
Pq. Cemucam. R. Mesopotâmia, s/nº, Granja Viana (Km 24,5, Rod. Raposo Tavares). Dom. (13/9), 11h.
Pq. Chico Mendes. R. Cembira, 1.201, V. Curuça Velho. Dom. (18/10), 11h.
Pq. Anhanguera. Av. Fortunata Tadielo Natucci, 1.000, Perus (Km 24,5, Rod. Anhanguera). Dom. (25/10), 11h.

TEATRO DE MAMULENGO MESTRE VALDECK

A festa de noivado da filha de um coronel tem tudo para dar certo, até que dois convidados decidem deixar as coisas mais ‘modernas’. Com Valdek de Garanhus. 55 min. Livre.
Pq Guarapiranga. Estr. Guarapiranga, 575, Pq. Alves de Lima, Campo Limpo. Sáb. (19/9). 15h.
Pq. Chico Mendes. R. Cembira, 1.201, V. Curuça Velho. Dom. (20/9), 11h.
Pq. Lina e Paulo Raia. R. Volkswagen, s/nº, Jabaquara. Sáb. (3/10), 15h.
Pq. Sta. Amélia. R. Timóteo Correia de Goes, 30., Jd. das Oliveiras. Dom. (4/10), 11h.

TOP, TOP, TOP

Criação do grupo que reúne os personagens do cartunista Henfil: Graúna, Zeferino e Bode Orelana, que moram na caatinga e estão em busca de um pouco d água, e os frades Baixim e Cumprido, que buscam respostas sobre a solidariedade humana. Com Grupo Ivo 60. 55 min. Livre.
Pq. Rodrigo de Gásperi. Av. Miguel de Castro, 321, Vila Zatti, Pirituba. Dom. (13/9), 15h.
Pq. Jd. Felicidade. R. Laudelino Vieira de Campos, 265, Jd. Felicidade, Pirituba. Dom. (20/9), 15h.
Pq. São Domingos. R. Pedro Sernagiotti, 125, Pq. São Domingos, Pirituba. Sáb. (10/10), 15h.
Pq. Cidade de Toronto. Av. Cardeal Motta, 84, City América, Pirituba. Dom (11/10), 15h.

VIVA MALAZARTES!

A peça conta a história de Pedro Malazartes, senhor da esperteza e da astúcia, que aceita como presente um passe mágico com o qual pode adquirir tudo e realizar todos os desejos, mas seduzido pelos prazeres da posse e do consumo, o personagem vai sendo destruído. Com Núcleo Pavanelli. 55 min. Livre.
Pq. Raul Seixas. R. dos Murmúrios da Tarde, 211, Itaquera. Dom. (6/9), 11h.
Pq. Luís Carlos Prestes. R. João Della Manna, 665, Jd. Rolinópolis, Butantã. Dom. (27/9), 11h.
Pq. V. dos Remédios. R. Carlos Alberto Vanzolini, 413, V. dos Remédios. Dom. (11/10), 11h.
Pq. Santos Dias. Estr. de Itapecerica, Km 23, Capão Redondo. Sáb. (17/10), 15h.

Sai lista de filmes que disputam prêmio no Festival do Rio

Posted in Uncategorized on setembro 1, 2009 by karolnews

Maior vitrine da produção brasileira, a Première Brasil atrai olheiros de importantes mostras internacionais, que garimpam nessa seção do Festival do Rio obras que serão vistas depois na Berlinale, por exemplo. Há uma semana que o festival vinha adiando a divulgação dos filmes que comporão a programação deste ano.

Extraoficialmente, a versão era sempre a mesma. Muitos filmes, e bons, pleiteavam a indicação. A lista finalmente saiu nesta segunda, 31. Contempla 23 títulos, distribuídos da seguinte maneira: são 14 ficções, 11 em competição e 3 fora de concurso; mais 9 documentários, 7 competindo e 2 também fora de concurso.

Ilda Santiago, que divide a diretoria executiva do festival com Walkiria Barbosa – a primeira, responsável pela programação; a segunda, pela área de mercado, que prevê os seminários -, confirma que este ano cerca de 130 longas foram submetidos à comissão de seleção e também 200 curtas. As programações de curtas e de outras seções da Première Brasil – Retratos e Novos Rumos – serão anunciadas nos próximos dias. Ilda destaca como muito rica a seção Novos Rumos. “Não fazemos distinções entre novos talentos e realizadores veteranos. Nossa expectativa é sempre apresentar o melhor, mas fomos surpreendidos por tantos filmes de novos diretores que estamos podendo montar uma seleção muito atraente de jovens talentos. Novos Rumos será representativa de tendências, com filmes audaciosos e corajosos. Pode anotar que tem coisas muito boas.”

A pouco mais de três semanas do seu início, dia 24, o festival festeja o retorno do patrocínio da Prefeitura do Rio. “Não é só o apoio financeiro, por mais decisivo que seja”, ressalta Ilda. “É um apoio estratégico e institucional, que não é só ao festival. A Prefeitura do Rio está voltando a apoiar o audiovisual, e isso é realmente para ser comemorado.” Ilda ainda guarda a sete chaves o filme de abertura, mas a gala de encerramento já está confirmada e trará ao Brasil Quentin Tarantino, para apresentar Bastados Inglórios, sua aventura de guerra na vertente de Os Canhões de Navarone, e Os Doze Condenados, com Brad Pitt. Outra presença ilustre que já está confirmada na mídia é Jeanne Moreau. “Jeanne vai ser ser a nossa grande convidada no quadro das comemorações do ano da França no Brasil. Quem melhor do que ela?”, pergunta Ilda.

Além dos longas concorrentes na categoria ficção (veja o quadro nesta página), estarão competindo, na categoria documentário – À Margem do Lixo, de Evaldo Mocarzel; Belair, de Noa Bressane e Bruno Safadi; e Reidy, A Construção da Utopia, de Ana Maria Magalhães, entre outros. O troféu para os melhores do Festival do Rio leva o nome de Redentor.

Confira a lista dos longas de ficção:

Bellini e o Demônio, de Marcelo Galvão (SP)

Cabeça a Prêmio, de Marco Ricca (SP)

Do Começo Ao Fim, de Aluizio Abranches (RJ)

Histórias de Amor Duram Apenas 90 Minutos, de Paulo Halm (RJ)

Hotel Atlântico, de Suzana Amaral (SP)

Natimorto, de Paulo Machline (SP)

O Amor Segundo B. Schianberg, de Beto Brant (SP)

Os Famosos e Os Duendes da Morte, de Esmir Filho (SP)

Os Inquilinos, de Sergio Bianchi (SP)

Sonhos Roubados, de Sandra Werneck ( RJ)

Viajo Porque Preciso, Volto Porque Te Amo, de Karim Aïnouz e Marcelo Gomes (PE)

Fonte: Estadão

A hora e a vez das mostras de fotografias na cidade de SP

Posted in Uncategorized on setembro 1, 2009 by karolnews

Setembro vai poder ser considerado o mês da fotografia na cidade de São Paulo, com uma série de mostras importantes – o destaque maior é a dedicada ao mestre Henri Cartier-Bresson, a partir do dia 16, no Sesc Pinheiros (com lançamento de livros) – e eventos em torno do gênero, como a terceira edição da feira SP- Arte/Foto, no Shopping Iguatemi, e a realização da primeira edição do festival SP Photo Fest, no Museu da Imagem e do Som (MIS). Já é um movimento dos últimos anos o aumento cada vez maior do mercado de fotografia na capital paulistana, mas mesmo exposições desse meio não ficam em segundo plano na programação de museus e instituições da cidade, pelo contrário, elas se tornam cada vez mais estrelas.

“Achava surreal São Paulo não ter um festival de fotografia organizado para acontecer todos os anos, e não apenas se pensar eventos esporádicos”, diz o empresário Luiz Marinho, que esteve a frente do Paraty em Foco, no Rio de Janeiro, por quatro anos, e agora lança o SP Photo Fest, bancado, majoritariamente, de seu próprio bolso – mas contando com parcerias importantes, entre elas, com a Leica, que ele representa, a Agência Estado (empresa do Grupo Estado) e o Metrô. O festival paulistano, entre os dias 10 e 13, não será um concorrente do de Paraty, que agora, em sua quinta edição, ocorrerá também neste mês, a partir do dia 23. Começa com uma versão que apresenta palestras e workshops de estrelas da fotografia mundial e nacional.

A terceira edição da feira SP-Arte/Foto, que será inaugurada no dia 9, também trará à cidade um mito da fotografia, o americano Elliott Erwitt, da agência Magnun, que lançará livro. Além de sua participação, a feira é uma oportunidade para se ver mais de 300 imagens dos mais variados autores, expostas nos estandes de 17 galerias de São Paulo, Rio e Bahia. A SP-Arte/Foto é ramo da SP Arte – Feira Internacional de Arte Contemporânea. No evento será apresentada a mostra“Portraits – Fotojornalismo em ‘O Estado de S. Paulo’, com uma seleção de obras de fotógrafos da Agência Estado.

Mostra celebra Cartier-Bresson

Captar o essencial com apenas uma imagem. Sempre foi esse o mote de Henri Cartier-Bresson (1908-2004) ao sair às ruas com sua inconfundível Leica para conseguir captar flagrantes com se estivesse capturando delitos. Invisível, como só ele acreditava ser, Cartier-Bresson nos ensinou a olhar de maneira diferente para as mesmas coisas que vemos todos os dias. Estar atentos. Prontos.

Parte de sua estética inconfundível e que marcou a visualidade do século 20 poderá ser vista a partir do dia 16 no Sesc Pinheiros, como um dos eventos em destaque do ano da França no Brasil, numa iniciativa conjunta entre o Sesc São Paulo, a Agência Magnum e a Fundação Henri Cartier-Bresson. São 133 fotografias, que também fazem parte do livro Henri Cartier-Bresson: Fotógrafo, que será lançado no Brasil pela Cosac Naify no dia da abertura da exposição.

A mostra tem curadoria do editor Robert Delpire e inclui imagens realizadas em 23 países durante os 40 anos que fotografou. No Brasil, a coordenação geral do projeto (que inclui a mostra paralela Bressonianas, debates, oficinas e exibição de filmes) é do curador Eder Chiodetto, que dividiu as imagens da exposição em três grandes temas. (Simonetta Persichetti, especial para o Estado)

Eliott Erwitt, astro maior da SP-Arte/Foto

O norte-americano Elliott Erwitt – que, na verdade, nasceu em Paris há 81 anos, filho de imigrantes russos – é um mito da fotografia. No passado, fotografou Marilyn Monroe, um ano antes da morte da atriz, durante as filmagens de Os Desajustados (The Misfits, 1961), de John Huston. É dele uma das melhores fotos do líder revolucionário Che Guevara (com seu charutão, olhando para o céu)e uma outra que passou à história como símbolo da Guerra Fria: a do ex-presidente Nixon apontando o dedo para o líder soviético Kruchev, em 1959. Com frequência comparado a Cartier-Bresson e Robert Capa, os dois fundadores da Magnum, agência à qual pertence, Erwitt é a principal estrela da feira SP-Arte/Foto, que começa no dia 9. (Antonio Gonçalves Filho, de O Estado de S. Paulo)

Estrelas da fotografia no MIS

Por questões políticas, o fotógrafo checo Antonin Kratochvil se tornou um refugiado, mudando-se da Checoslováquia para Nova York, em 1972, onde vive desde então. “As coisas na Europa Central estão ficando melhores do que eram na época totalitária. Talvez, quem sabe, um dia eu volte a viver nela”, diz Kratochvil, que escolheu há mais de 30 anos o fotojornalismo como a maneira de “lidar com os problemas humanos”. A tragédia humana – não importa se pela cobertura da Guerra no Iraque, da situação precária na África, de série sobre o cotidiano em Chernobyl depois do acidente nuclear – aparece em suas fotografias por meio de uma beleza que nos chama a atenção pela acuidade estética e pela força do impacto cru das cenas. Kratochvil estará proximamente em São Paulo, a partir do próximo dia 9, como uma das estrelas que participam da primeira edição do SP Photo Fest – Festival Internacional de Fotografia de São Paulo, que ocorrerá entre os dias 10 e 13 no Museu da Imagem e do Som (MIS). (Camila Molina, de O Estado de S. Paulo)

O fotojornalismo por 10 autores do Estado

O retrato é, sem dúvida, uma das mais fascinantes linguagens fotográficas. Quando olhamos um portrait, o que procuramos nele, como nos vemos? O repórter especial do Caderno 2, Antonio Gonçalves Filho, curador da mostra Portraits – Fotojornalismo em O Estado de S. Paulo, que integra a Feira SP-Arte/Foto/2009, estabelece uma relação entre os retratos feitos para o jornal – “que não são meros instantâneos” – com os retratos pintados da época vitoriana, que por seus aspectos formais procuravam revelar a personalidade, a profissão do retratado.

Gonçalves Filho selecionou dez fotografias de dez fotojornalistas do Estado (Antonio Milena, Eduardo Nicolau, Ernesto Rodrigues, Jonne Roriz, José Luiz da Conceição, José Patrício, Hélvio Romero, Márcio Fernandes, Paulo Liebert e Paulo Pinto). Personagens e personalidades que se destacam em suas áreas, como Paulo Autran e José Saramago, aparecem fotografados e interpretados por um olhar singular, o do fotógrafo de jornal: “Cada profissional tem um olhar próprio. Um se preocupa mais com o aspecto formal da composição, outro mais com o seu modelo”, comenta.

Cada vez mais podemos apreciar fotojornalistas com produções mais apuradas e ambição estética, sem esquecer, contudo, o fundamental do jornalismo, que é a informação. Em cada imagem revela-se o reconhecimento de um olho pensante e da autoria fotográfica: “Acho que a internet banalizou muito a imagem e queria mostrar como nasce a linguagem de autores que resistem à uniformização cultural e fazem da fotografia reconhecidamente uma arte”, afirma o curador. (Simonetta Persichetti, especial pra o Estado)

Serviço

Erwitt/SP-Arte/Foto. Espaço Iguatemi. Av. Brig.Faria Lima, 2.232, 9.º andar. De 10 a 13/9

Erwitt/ Magnum. Galeria de Babel. R. Virgílio de Carvalho Pinto, 422. A partir de 12/9

SP-Arte/Foto 2009. Espaço Iguatemi. Av. Brig. Faria Lima, 2.232, 9.ºandar. Dias 10 e 11, das 15 às 21 h; dias 12 e 13, das 14 h às 21 h. Grátis. Preview no dia 9, às 16 h. http://www.sp-arte.com

SP Photo Fest. MIS. Av. Europa, 158, 5051-1055. De 10 a 13/9 – palestras gratuitas, workshops a partir de R$ 580. Informações e programação completa do festival: http://www.spphotofest.com.br

Fonte: Estadão