Arquivo para março, 2009

Renato Braz encanta o público na noite de domingo!

Posted in Uncategorized with tags , , , on março 30, 2009 by karolnews

Era pouco mais de quatro da tarde quando meu telefone tocou e recebi o convite “Você vai ao meu show né?”. Era Renato do outro lado da linha. Aquela voz inconfundível que costumava tocar em meu MP4 todos os dias, agora estava a me “convocar” pessoalmente para a sua apresentação.renato12

Foi ao som da boa e velha MPB que Renato Braz encantou todos os que lotaram a sala do Auditório Ibirapuera na noite de ontem (domingo).Com o show “Renato Braz e Convidados” ele apresentou alguns renomados colegas, como Bré e Mario Gil, que participaram de quase todo o repertório. Ao lado de Sizão Machado (contra-baixo), Serginho Silva (percussão) e Gerson Oikawa (violões e guitarra), ele mostrou neste show um pouco do repertório de seus 5 cd’s e convocou o parceiro e compositor Fred Martins para apresentar seu trabalho. Também mostrou músicas de seu novo álbum, produzido pelo saxofonista norte-americano Paul Winter, que será lançado no segundo semestre nos EUA e Japão.

No começo tímido, Renato apareceu no palco munido apenas de um violão, aos poucos soltou o vozeirão e mostrou a que veio.Entoou canções de seus antigos CD’s, e em “Anabela” emocionou os fãs, sendo esta, uma das canções mais queridas pelo público.

O compasso “caboclo” de suas canções agradou até os mais desentendidos. Com o clássico “Eu preciso aprender a ser só” e “Todo menino é um rei” empolgou a platéia que o aplaudiu de pé.O clima descontraído foi marcado por “causos” que Renato ia desenrolando ao longo do espetáculo ilustrando o cenário e justificando a escolha de cada músicailustrando o ceneu filho (resentaç dias, agora estava a me ” recebi o convite “ala do Audit. Quando seu filho subiu ao palco, o cantor acabou mostrando o lado “pai-coruja” e deixou que o garoto o acompanhasse na canção “ Todo menino é um rei” que encerrou a noite.

O público queria mais, e com o “bis”, Renato finalizou a cantoria que teve duração de pouco mais de duas horas. Brincou ainda com o fato de ter dividido a atenção com o jogo da seleção brasileira, e agradeceu pelo “esforço” dos que haviam deixado os boleiros de lado.

Com inúmeros agradecimentos o cantor deixou o palco sob aplausos calorosos, o que rendeu uma sessão “tiete” dessa que voz escreve, desci de minha poltrona para cumprimentá-lo pelo show, ao que me respondeu com um sorriso e uma pergunta.

“Gostou?”. Era óbvio pelo meu sorriso.

Deixei o parque em êxtase. Uma boa pedida para um final de domingo.

Fotos do evento:

http://www.flickr.com/photos/karoll22/

Anúncios

Mallu Magalhães no Shopping Tatuapé.

Posted in Uncategorized on março 29, 2009 by karolnews

A revelação adolescente das canções folk no Brasil, Mallu Magalhães, chega ao Shopping Metrô Tatuapé para inaugurar a nova temporada do Domingo Musical 2009. No dia 29 de março, às 13h, os visitantes do Shopping poderão conferir o show ao vivo da cantorateen, sensação entre o público jovem. Com entrada gratuita, a apresentação, que acontecerá na Praça de Eventos, deverá atrair adolescentes e adultos que poderão curtir hits como Tchubaruba e Vanguart. A jovem artista iniciou sua carreira na internet – obteve mais de um milhão de visitas em sua página no site MySpace – e hoje, com apenas 16 anos, se tornou fenômeno da música no Brasil. Além de compor e cantar em português, inglês e francês, a revelação teentambém é multiinstrumentista – toca violão, piano, gaita, desenha e até conserta instrumentos musicais. Mallu prefere selecionar suas músicas na hora, tornando o show mais atrativo e espontâneo. A artista também fará um show no dia 25 de abril, no Citibank Hall.

Ingressos para quatro shows do Oasis no Brasil já estão à venda

Posted in Uncategorized with tags , , on março 26, 2009 by karolnews

Já estão à venda os ingressos para os quatro shows do grupo britânico Oasis no Brasil. A banda dos irmãos Noel e Liam Gallagher passará por Rio de Janeiro, São Paulo, Curitiba e Porto Alegre durante o mês de maio.

A primeira apresentação do grupo nesta nova excursão pelo país será no Citibank Hall, no Rio de Janeiro, no dia 7 de maio, com ingressos que custam entre R$ 180 (pista) e R$ 400 (pista vip e camarote).

Em São Paulo, onde a banda toca dia 9, o show será na Arena Anhembi, e as entradas custam R$ 180 (psita) e R$ 400 (pista vip). Na capital paranaense, onde o Oasis tocará pela primeira vez, a apresentação será no dia 10 na Arena Expotrade, com ingressos por R$ 200 (pista) e R$ 400 (pista vip).

Em Porto Alegre, que também receberá a banda dos irmãos Gallagher pela primeira vez, o show será no Ginásio Gigantinho, no dia 12, com entradas a R$ 120 (pista e arquibancada) e R$ 180 (cadeira).

Os interessados podem comprar entradas para os shows do Oasis no Brasil através do site da Ticketmaster.

A última vez que o grupo tocou em solo brasileiro foi em março de 2006, em São Paulo. A primeira passagem do Oasis pelo Brasil foi em 2001, no Rock In Rio 3, para um público de 200 mil pessoas.

Os irmãos Gallagher voltam ao Brasil para divulgar seu último trabalha, “Dig Out Your Soul”, lançado em 2008.

Serviço:

Oasis no Brasil

Rio de Janeiro
Onde: Citibank Hall
Quando: 7 de maio, quinta-feira
Quanto: de R$ 180 (pista) a R$ 400 (psita vip e camarote)
Horário: 21h30
Informações: www.ticketmaster.com.br

São Paulo
Onde: Arena Anhembi
Quando: 9 de maio, sábado
Quanto: R$ 180 (pista) e R$ 400 (pista vip)
Horário: 22h
Informações: www.ticketmaster.com.br

Curitiba
Onde: Arena Expotrade
Quando: 10 de maio, domingo
Quanto: R$ 200 (pista) e R$ 400 (pista vip)
Horário: 19h30
Informações: www.ticketmaster.com.br

Porto Alegre
Onde: Ginásio Gigantinho
Quando: 12 de maio, terça-feira
Quanto: R$ 120 (pista e arquibancada) e R$ 180 (cadeira)
Horário: 20h
Informações: www.ticketmaster.com.br

Documentário sobre Ahmadinejad abre Festival É Tudo Verdade

Posted in Uncategorized on março 25, 2009 by karolnews

Na primeira cena de “Cartas ao Presidente”, uma multidão persegue o comboio onde está a câmera. Há um misto de fascinação e desespero na expressão de homens e mulheres que, com maços de papel em punho, tentam se aproximar dos veículos em movimento. Ao centro do comboio, em carro aberto, cercado por seguranças, está o presidente do Irã, um sorridente Mahmoud Ahmadinejad.

Interessante investigação sobre os métodos populistas de Ahmadinejad, o ótimo filme do tcheco Petr Lom dá largada nesta noite à 14ª edição do É Tudo Verdade.

Até o próximo dia 5, em São Paulo e no Rio, o principal festival de documentários do país apresentará uma seleção da mais recente produção do gênero, no Brasil e no exterior. Brasília também receberá o evento, de 14 a 26/4.

Ao explicar a escolha para a sessão de abertura, Amir Labaki, diretor do festival e articulista da Folha, ressalta a geopolítica internacional: “Esse filme toca numa questão crucial do mundo atual, que é o Irã. Não haverá paz no Oriente Médio e no mundo sem que a questão iraniana seja equacionada”.

Formado em filosofia por Harvard, Lom, 40, conta que deixou a vida acadêmica em 2003 para “fazer o que mais gostava, viajar e, mais do que qualquer coisa, contar histórias desconhecidas, que fizessem diferença no mundo”.

Essa mudança de rota resultou nos documentários “Rapto de Noivas no Quirguistão”, sobre a prática usual para arranjar casamentos na ex-república soviética, e “On a Tightrope” (na corda bamba), sobre os uighur, minoria muçulmana que vive no noroeste chinês sob vigília constante de Pequim.

Com “Cartas ao Presidente”, seu terceiro longa, Lom se tornou o primeiro estrangeiro a ter permissão para filmar as caravanas de Ahmadinejad pelo interior do país.

Para convencer Teerã de que não era um espião de Washington, apresentou um plano de registrar a prática, estimulada pelo mandatário, de envio de cartas ao governo. Segundo a atual gestão, mais de 9 milhões de pessoas já escreveram para contar seus dramas e 76% das demandas foram atendidas.

Teerã gostou do projeto. Achou que Lom faria um filme de propaganda e até sugeriu batizar a obra de “Democracia em Ação”. O resultado final está bem longe do título proposto. “Cartas ao Presidente” mostra, sim, a enorme popularidade do presidente nas regiões mais pobres –Ahmadinejad causa histeria ao passar por vilarejos miseráveis. Mas apresenta também os problemas que corroem hoje o país: inflação, desemprego e censura.

E o próprio Lom foi alvo de censura? “Sim. Não tinha um ‘supervisor’ que me seguia o dia todo, como quando trabalhei na China. O controle no Irã era mais difuso, caótico e, talvez, mais secreto. Autoridades me disseram que eu estava sendo observado”, relata o diretor, acrescentando que, algumas vezes, policiais o obrigaram a apagar suas gravações “por razões de segurança”.

Burocracia e desconfiança

O documentarista afirma que passou cinco meses no país e conseguiu filmar, no total, menos de quatro semanas. “O resto do tempo era esperar por permissões, em negociações intermináveis para entrar nos locais de filmagem. Há muita burocracia, além de camadas e mais camadas de suspeita em relação aos estrangeiros.”

No trato com o governo, Lom teve ajuda de um produtor local, amigo do conselheiro de imprensa de Ahmadinejad. “Tinha um aliado político. Não há como trabalhar de outro jeito no Irã. É preciso contatos.”

Tais contatos lhe permitiram filmar, além de viagens e comícios presidenciais, o centro de processamento de cartas e o call center do governo, uma eleição legislativa, a cidade natal de Ahmadinejad e a mesquita onde, diz o islã, um dia o Messias reaparecerá.

Nessas andanças, Lom entrevistou dezenas de iranianos e estruturou grande parte do documentário em cima das opiniões dos cidadãos comuns. O diretor quase não intervém nas imagens –não há narrações em off condenatórias nem trilha sonora dramática, só algumas legendas informativas.

Mas isso não faz de “Cartas ao Presidente” um filme acrítico. Ao contrário, a montagem é a arma de Petr Lom para opinar, em uma sequência de depoimentos em que o Irã das ruas ataca o Irã dos gabinetes.

CARTAS AO PRESIDENTE
Direção: Petr Lom
Quando: hoje, às 20h30 (para convidados); amanhã, às 19h; e sáb., às 17h, no Cinesesc; 1/4, às 15h e às 19h, no CCBB
Avaliação: ótimo

Fonte: Folha Online

‘Ensaio sobre a Cegueira’ vence premiação em São Paulo

Posted in Uncategorized on março 25, 2009 by karolnews

Fernando Meirelles foi o grande vencedor do 5º Prêmio Fiesp/Sesi do Cinema Paulista. A festa de premiação foi realizada anteontem à noite, no auditório da Federação das Indústrias de São Paulo. Ao receber o prêmio de melhor diretor, o cineasta disse que estava lavando a alma. “Nunca recebi tanta porrada por nenhum outro filme que realizei. Pelo menos em São Paulo, as pessoas gostaram de Ensaio sobre a Cegueira.”

O longa adaptado de José Saramago venceu também nas categorias de melhor filme, fotografia (César Charlone) e montagem (Daniel Rezende). O próprio Meirelles recebeu o prêmio pelo fotógrafo, que participa de uma filmagem no Uruguai. Segundo Meirelles, ele realiza um quarto dos filmes e os outros três quartos vêm dos aportes de Charlone, do montador Rezende e do diretor de arte Tulé Peaks, o único que não foi contemplado anteontem.

Muito bem produzida, a festa teve um motivo temático. Partindo do princípio de que fazer cinema no País, e no Estado, é tão difícil que os profissionais vivem na corda bamba, o palco do auditório da Fiesp foi transformado num picadeiro de circo, com intervenções do grupo Parlapatões. A atriz Barbara Paz foi apresentadora. Chega de Saudade, de Laís Bodanzky, venceu nas categorias de atriz coadjuvante (Clarice Abujamra), roteiro (Luis Bolognesi) e trilha (BID). Encarnação do Demônio deu a José Mojica Marins o prêmio de melhor ator e também venceu o de direção de arte (para Cássio Amarante). Rosane Mulholland foi melhor atriz, por Falsa Loira, de Carlos Reichenbach, e Milhem Cortaz o melhor coadjuvante, por Nossa Vida Não Cabe Num Opala, de Reynaldo Pinheiro. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Fonte: Agência Estado

China fará musical baseado em “O Capital”, de Karl Marx

Posted in Uncategorized with tags , , on março 23, 2009 by karolnews

normal_broadway_sign1Produtores de teatro chineses informaram nesta segunda-feira que uma comédia musical baseada em “O Capital”, de Karl Marx, estreará em breve aproveitando a conjuntura de crise econômica mundial.

“O espetáculo permitirá às pessoas comuns entenderem a crise financeira atual”, afirmou Zhang Jun, professor de economia da Universidade Fudan de Xangai, que colabora na adaptação do livro.

O musical vai mostrar as reações de um grupo de trabalhadores de um escritório que tomam consciência que são explorados por seu patrão, segundo o jornal “China Daily”.

O espetáculo se baseia também no filme “Rashomon”, do diretor japonês Akira Kurosawa, na qual quatro testemunhas de um estupro e um assassinato relatam diferentes versões dos fatos.

A peça deve estrear em meados de 2010 no Centro de Arte Dramática de Xangai e contará com todos os recursos dos maiores musicais da Broadway.

Los Hermanos e Radiohad,perfeito!

Posted in Uncategorized on março 23, 2009 by karolnews
loshermanos

Los Hermanos volta aos palcos, empolga e lança Radiohad.

Com muita gente emocionada gritando “finalmente”, o Radiohead fez ontem seu primeiro show em São Paulo, no festival Just a Fest, que recebeu ainda a banda alemã Kraftwerk e os cariocas Los Hermanos.

Sem ocorrências policiais graves, o evento ocorreu na Chácara do Jockey, na zona oeste de São Paulo. Todos os 30 mil ingressos foram vendidos.

Escorados por sete discos e 30 milhões de cópias vendidas, o quinteto inglês subiu ao palco pouco antes das 22h, horário previsto. Tubos cilíndricos de luz pendiam do palco, formando um cenário futurista.

Liderado pelo irrequieto vocalista Thom Yorke, o grupo abriu a apresentação com “15 Step”, faixa de “In Rainbows” (2007), o mais recente disco.

Das poucas bandas que conseguem aliar grande público a músicas que fogem do padrão pop (estrofe, refrão), o Radiohead baseia o show em canções quase abstratas, amparadas pelo vocal disforme de Yorke.

Faixas como a balada “All I Need” emocionaram; o hit “Karma Police” foi entoado como hino, como se todos ali estivessem perdidos (“I lost myself”; “eu me perdi”).

O Radiohead é uma banda deslocada do mainstream pop; emana um espírito quase paranoico, que fica claro no duelo entre guitarra e bateria de faixas como “Idioteque”.

Após tocar músicas conhecidas como “Paranoid Android” e “Fake Plastic Trees”, a banda fechou a apresentação no terceiro bis, à 0h15, com “Creep”, seu primeiro single de sucesso.

Paranoia não foi exatamente o clima do show anterior, do Kraftwerk. Tido como pai da música eletrônica, o grupo alemão condensou em uma hora algumas de suas clássicas canções, como “The Robots”, “The Man-Machine” e “The Model”. Sem produzir músicas novas há anos, a banda foi escudada pelo passado e pelo visual estonteante exibido em telões.

Na reunião mais aguardada dos ultimos tempos no cenário pop brasileiro, o Los Hermanos fez um show competente –com sucessos e músicas menos conhecias– de cerca de 70 minutos na abertura da edição paulistana do festival Just a Fest, em São Paulo.

O sol ainda se punha às 18h27 deste domingo (22) quando soaram os primeiros acordes de “Todo Carnaval Tem Seu Fim”, hit do segundo album “Bloco do Eu Sozinho” (2001), recebida com entusiasmo pelo público que esgotou os ingressos para o evento.

Era visível, no entanto, que grande parte da platéia estava ali para rever a banda carioca, mais do que qualquer uma das atrações internacionais.

Em coro o público respondia as batidas empolgadas e a energia durante a música  ” O Vento”.

O entusiasmo equivalente à espectativa pelo show transpareceu durante as músicas mais queridas pelos fãs, como “Além Do Que Se Vê” e “O Vencedor”, alguns se emocioanram na entoada de                            ” Sentimental” e especialmente na última, “A Flor”, que encerrou a apresentação às 19h40.

Agradecidos, os Los Hermanos encerraram a noite com um ” Até qualquer dia”, que acendeu uma chama de retorno no coração dos fãs.